Pesquisar este blog

sábado, 13 de julho de 2013

Médico da seleção na Copa de 1998 diz que não queria Ronaldo na final via @Reinaldo_Cruz

Ronaldo foi à campo por decisão colegiada, bancada por Zagallo
Ex-médico da seleção brasileira e que atendeu Ronaldo no polêmico episódio da convulsão horas antes da final da Copa de 98, Joaquim da Mata disse ao O Estado de S. Paulo que vetaria o atleta da partida contra a França. O então profissional da CBF conta que sua opinião não foi levada adiante pelo técnico Zagallo e pelo chefe do setor médico, Lídio Toledo, e pelo próprio atacante.

Joaquim da Mata ressalta que nada grave foi diagnosticado em Ronaldo após exames horas antes do jogo, mas que o atacante necessitaria de repouso após o susto sofrido pouco antes da decisão do título.

“Eu disse ao Lídio, por precaução, que preferia que não [jogasse]”, declarou Joaquim ao jornal O Estado de S. Paulo.

“Era só pela exiguidade do tempo. Não que eu temesse pela vida dele. Houve um fato, uma agressão ao organismo. O organismo precisava de tempo para se recuperar”, complementou.

Apesar de se considerar sido voto vencido, Joaquim diz que a decisão de colocar Ronaldo em campo foi correta e baseada em exames e palavra do jogador. Joaquim foi quem acompanhou Ronaldo a uma clínica pouco depois do Fenômeno sofrer convulsão no quarto do hotel.

Depois dos exames, Ronaldo teria dito a Joaquim que não se recordava do momento da convulsão, mas que estava com condições de enfrentar a França.

Leia mais: Médico da seleção na Copa de 1998 diz que não queria Ronaldo na final - Futebol - UOL Esporte

Tradutor

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

http://bit.ly/hc5vPX

Seguidores

Arquivo do blog

Reinaldo Da Silva Cruz

Criar seu atalho